Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ice AVenturaS

A Aventura de estar no topo do meu Iceberg... Ou seja, da minha mente! Pensamentos, reflexões, experiências, assuntos sérios ou maluquices da pessoa, mãe e psicóloga... Uma viagem talvez alucinante e meio louca!

Ice AVenturaS

A Aventura de estar no topo do meu Iceberg... Ou seja, da minha mente! Pensamentos, reflexões, experiências, assuntos sérios ou maluquices da pessoa, mãe e psicóloga... Uma viagem talvez alucinante e meio louca!

Como incentivar as mulheres a ir ao ginásio?

 A Solinca responde... Ou não! 

 

Vi esse vídeo numa publicação de uma Blogger que gosto muito e que estava indignada com o mesmo... 

 

A mim, o que me entristece mais é que infelizmente acredito que esta "coisa"/anuncio pode e vai resultar ao apelar às inseguranças e fragilidades de algumas mulheres... Vai acertar no ponto onde dói para algumas, tendo por isso potencial motivador...

Desde a mulher deitada no chão (posição de exercício? Pois, pois), ao corpo trabalhado à mostra, às frases escritas, até mesmo ao arfar (um som de exercício/cansaço supostamente, mas introduzido como subterfúgio para lembrar sexo e assim reforçar a mensagem escrita) foram estudados e têm um só propósito: ativar pensamentos que causem insegurança e o sentimento de menor valor ou desejabilidade sexual por ser menos "trabalhada".

Está cheio de estereótipos explícitos e implícitos este vídeo. Todos colocados para despertar inseguranças e motivar pelo reforço das mesmas: as mulheres têm que ser bonitas para os homens (ou para não os perderem); as mulheres só valem a beleza e elegância que tiverem; os homens só pensam com a cabeça de baixo e vão a correr atrás das secretárias e babysitters giras; as mulheres só têm vida sexual e são desejadas se forem sexys...

É pena... É pena aproveitarem-se das fragilidades de alguém e reforçarem-nas...

 

Porém mais pena tenho ainda por saber que provavelmente se a mensagem fosse: faça exercício por si, para se sentir melhor e mais saudável, para descomprimir porque merece... a probabilidade de ninguém lhe ligar era grande e, como tal, não serviria o seu propósito... 

Mas seria bem mais positivo e de louvar, se pusessem a criatividade a funcionar para fortalecer egos e corpos, em vez de acentuar fragilidades e inseguranças redutoras...

 

Com este uso que deram à criatividade, arriscam-se a irritar umas quantas mulheres... Será que o saldo é positivo entre as clientes que perdem e as que ganham com estas estratégia?
Espero que não... Que sejamos (nós mulheres) menos inseguras e menos manipuláveis...

 

E, claro que os Srs da Solinca vão dizer é que não temos sentido de humor (as que acham esta publicidade de mau gosto) ou que os outros fazem igual... (Esta última parte, infelizmente, também é verdade na maioria dos casos...)

Não acho que valha a pena zangar-me com a Solinca por fazer um marketing de manipulação e de desvalorização da mulher. Este tipo de marketing funciona infelizmente, por isso é natural que o façam...

 

Por isso, o que eu acho que devo fazer, é alertar para a mensagem que se esconde por trás e que faz cada mulher sentir-se insegura ou menos merecedora e dizer:

- Mulheres do mundo, vocês são lindas! O vosso valor e beleza não se mede em kg, nem no que um homem (ou mulher) tem a dizer sobre o vosso corpo ou o vosso aspecto! Quem vos ama, ama pelo conjunto. Pelo que são e não apenas pela "embalagem".
E, os homens têm cérebro. Não os insultem, nem depreciem e muito menos lhes dêem desculpas para irem a correr para outra "porque os homens são assim"! Eles não são animais irracionais, cujo comportamento se rege apenas por instintos e impulsos!
E se o que está convosco não tem cérebro, se vai a cada impulso... Olhem, nem sei que vos diga... A não ser que, também há mulheres assim (não é exclusivo dos homens) e, de resto, é convosco... Cada uma sabe de si e acredita no que quer... mesmo que seja na mensagem de um anúncio de ginásio...

 

Eu não serei com certeza cliente deles. Isso é certo.

 

PS1: Curioso que nos anúncios da Solinca dirigidos ao público masculino é mais acentuada a competitividade entre homens, pois são chefes, têm lugares de estacionamento no trabalho, são coordenadores de mestrado... Enfim... 

PS2: No anúncio do Jorge também apelam ao público homossexual (1 ponto para eles): "O jardineiro que o seu marido contratou". Ou talvez queiram apelar ao público feminino... Ou talvez tenha sido antenas um ato falhado do criador dos vídeos... 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Ice"guêsa" 30.12.2016 22:53

    O que o anúncio diz ou dá a entender é que devemos ter inveja da Ana ou procurar ser  como a Ana e ter "excelente forma física" porque senão ela será a nova namorada do nosso ex, a nova babysitter dos nossos filhos (que se subentende virá "seduzir" o pai deles) ou a estagiária do nosso marido (mais uma vez, subentendendo-se que o vai seduzir). Sim, as revistas cor-de-rosa são apropriadas aqui pois perpetuam o mesmo tipo de estórias e estereótipos.

    Tanto o "Jorge" como o "Luís" dos anúncios do referido ginásio estão a fazer exercício físico enquanto passam as frases. 
    A Ana está deitadinha no chão e a arfar...


    Não é a presença da Ana ou o facto de ela ser uma mulher com o corpo tonificado que torna o anúncio machista ou não. 


    É o modo como a Ana é apresentada e o texto que a acompanha...
    No texto não se diz que devemos invejá-la e aspirar ser como ela porque é uma mulher forte e independente que em vez de se "esbardalhar no sofá" se preocupa com a saúde dela e vai para o ginásio. Por ela, para se sentir bem com ela própria. Ou, como nos anúncios masculinos, porque é a nossa chefe, ou a colega com um lugar melhor...

    A leitura que fiz não foi feminista, mas uma visão de quem sabe qualquer coisa de psicologia e tem umas noções de marketing...


    Tendo isto em conta, se acha que o anúncio é um elogio e enaltece as mulheres... Está no seu direito.



    Quanto à novidade ou inovação... 
    Concordamos que não é grande. Eu escrevi isso mesmo, quando afirmo que os outros fazem igual e que resulta.




    Por fim, já que foi tão frontal e direta, digo-lhe também para o que não tenho eu paciência:
     
    - Para posts sobre 2016 ter sido uma merid@ porque morreram muitos famosos (desde 2005 que "somo" mortes de pessoas bem mais VIP para mim que todos os verdadeiros VIP's falecidos este ano);
    - Para posts com promessas para 2017 (nunca se cumpre nada, esqueçam lá isso);

    - Para posts acerca da cor das cuecas a usar na passagem de ano (who cares?);

    - Para o facto de haver mulheres a votarem no Trump e mulheres que são mais machistas que os "machos", que interiorizaram de tal modo as normas e convicções sociais acerca do papel da mulher que não vêem além disso;
    - Para o facto de se confundir liberdade de expressão com falta de educação ou tacto e se esquecer que os outros também têm o mesmo direito à dita liberdade de expressão;
    - Para quem vem descarregar frustrações para net, enquanto está "alapado" e protegido atrás de um ecrã;
    - Para ler posts acerca de assuntos para os quais não tenho paciência (Simplesmente, não os leio! Fecho a "janela"! Nada mais fácil.);
    - Para comentar posts doutras pessoas, nos blogues delas, a bater-lhes, dizer que discordo ou quão aborrecido foi para mim ler aquilo (Afinal, só li porque quis);
    - Para ter calma e ser moderada no que escrevo, qual moderadora de um fórum que se esforça por explicar e acalmar ânimos (deixei de ser moderadora exactamente por ter esgotado a paciência para a obrigação de ter que "ouvir" tudo e respirar fundo sem respingar).


    Ou, se calhar, hoje estou só mesmo sem paciência no geral...




    Bom Ano Novo.
  • É a tua vez! Escreve um comentário!:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.