Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ice AVenturaS

A Aventura de estar no topo do meu Iceberg... Ou seja, da minha mente! Pensamentos, reflexões, experiências, assuntos sérios ou maluquices da pessoa, mãe e psicóloga... Uma viagem talvez alucinante e meio louca!

Ice AVenturaS

A Aventura de estar no topo do meu Iceberg... Ou seja, da minha mente! Pensamentos, reflexões, experiências, assuntos sérios ou maluquices da pessoa, mãe e psicóloga... Uma viagem talvez alucinante e meio louca!

Insignificâncias preciosas...

Adoro o meu filho. Sério! É a minha paixão, o meu mais-que-tudo, a minha vida. E o meu marido também o adora. É o nosso menino e por ele tudo nesta vida e na outra. É um amor diferente, desmedido, o entre pais e filhos.

 

Mas não somos só pais. Somos namorados, somos marido e mulher, somos um casal.

E também nos amamos um ao outro, muito e há muitos anos, muito antes de se pensar sequer num "pardalinho". Há precisamente 18 anos.

 

Como disse, sem questionar o amor pelo nosso filho, há coisas que nos fazem falta.

Coisas que podem parecer ridículas, insignificantes, mas que são preciosas e nos fazem muita falta há quase 4 anos.

Coisas que para outros casais não se terão tornado acontecimentos raros, mas que o são para nós.

 

Por isso, neste dia, vamos festejar a fazer essas coisas insignificantes...

 

Vamos almoçar a dois, sem barulho.

Vamos conversar enquanto almoçamos com calma, sem ninguém a chamar por nós ou a entornar a comida toda.

Vamos conversar sem ninguém interromper só porque sim, para chamar a atenção.

Vamos tomar um café nas calmas, sentados numa esplanada, sem um "pardalinho" a dizer que está farto ou a saltitar na cadeira sem parar.

Vamos sentar numa esplanada e relaxar, sem preocupações, só os dois "a ver quem passa".

Vamo-nos alapar no sofá e ver um filme durante o dia.

Vamos ver algo que gostamos na TV, sem interrupções e sem que adormeçamos de exaustão porque o dia foi longo.

Vamos "fazer nenhum" e relaxar.

Porque tenho saudades de "fazer nenhum" a dois.

 

E, depois, mais repousados e contentes do nosso momento a dois, vamos buscar o nosso rebento, o nosso menino, e celebrar em família o facto de, há 18 anos, os pais dele terem dado as mãos e não mais as largarem.

 

Sem culpas, porque se não houver momentos a dois de vez em quando, também não haverão momentos a três...

Como se diz, o segredo está nas pequenas coisa... ;)

 

 

 

 

É a tua vez! Escreve um comentário!:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.